Iodeto de mercúrio – cristalização no espaço

cristal vermelho intenso
O cristal vermelho intenso de iodeto de mercúrio (HgI2) foi obtido durante missão da Nasa em 1992.

O procedimento consistiu em um aquecimento do material fonte de iodeto de mercúrio, resultando em sua vaporização e posterior condensação sobre um cristal germem.

Cristais de iodeto de mercúrio possuem aplicação em detectores de radiação X e gama. Podendo operar em temperatura ambiente o cristal permite construir detectores portáteis com possível uso em usinas nucleares, medicina, extração de minerais e observação astronômica.

O iodeto de mercúrio também pode apresentar uma interessante mudança de fase em temperaturas em torno de 127 °C. Em temperaturas baixas, o composto encontra-se como alfa-HgI2 com estrutura tetragonal e estável. Uma fase amarela, a beta-HgI2 pode ser atingida com o aquecimento, gerando uma estrutura ortorrômbica. Obtida desta forma, a fase amarela (yellowMT) é dita ser uma fase destrutiva de transição, pois trata-se de uma transição completa mas não totalmente estável.

No vídeo abaixo aqueceram uma amostra vermelha até ela passar para a fase de cor amarelada.

Para visualizar o original visite, Nasa Images.

Texto escrito por Prof. Dr. Luís Roberto Brudna Holzle.

Comentários

comentários

Tags:

Um comentário

  1. estorfaldo kum 17/06/2013

Escreva uma mensagem