Cristais de escândio

cristais do metal dentro de um frasco de vidro

 O escândio foi descoberto por Lars Fredrik Nilson, químico sueco, em 1879, ao tentar produzir itérbio puro (elemento metálico prateado e macio) a partir do mineral euxenita. Ocorre em pequenas quantidades em alguns minerais específicos e raros da Escandinávia e de Madagascar; como por exemplo: thortveitite, euxenita e gadolinita; são as fontes concentradas conhecidas deste elemento. Thortveitite pode conter até 45% de escândio, sob a forma de óxido de escândio (III). Porém normalmente é obtido como um subproduto da refinação de urânio.

O nome vem da palavra latina ‘scanda’ que significa Escandinávia.

Escândio é um metal macio e leve que pode ser aplicado na indústria aeroespacial. Com um custo elevado de US$ 270 por grama o escândio é muito caro para uso generalizado. É quase tão leve como o alumínio, mas tem um ponto de fusão muito mais elevado.

Ligas de alumínio e escândio (0,5%) são usados ​​em alguns tipos de equipamentos esportivos, como o bastões de beisebol de alumínio, quadros de bicicletas e lacrosse. As ligas de alumínio-escândio poderão ser importantes para a fabricação de células de combustível.

Cerca de 20 quilogramas de Óxido de Escândio (Sc2O3) são utilizados a cada ano nos Estados Unidos na produção de luzes de alta intensidade. Iodeto de escândio (ScI3) é adicionado às lâmpadas de vapor de mercúrio de modo que emite luz que se assemelha a luz solar.

Texto escrito por Victória Kopp.

Imagem em licença Creative Commons (by-sa 3.0), via wikimedia.

Comentários

comentários

Tags:

Escreva uma mensagem